O que é o Metaverso?

Hoje vamos falar sobre o metaverso. Eu vou explicar da forma mais simples possível. As experiências que você vai ter e todos os negócios envolvidos. A ideia da tecnologia é permitir você interagir com o máximo de sentidos possíveis. A internet ficará muito mais imersiva, visual.

O 5G abriu a possibilidade de uma interatividade através de um volume de informações que antes não era possível.   A Starlink, de Elon Musk por exemplo, iniciará os testes dessa tecnologia em uma comunidade em São Paulo.

Será possível se divertir, estudar, trabalhar, interagir com amigos e familiares e fazer compras de uma forma jamais vista. Quando você jogar com seus amigos por exemplo, você terá a sensação de estar naquele novo mundo realmente com eles.

Tudo que fazemos hoje na internet se tornará muito mais natural e vivo. Não estou falando de passar mais tempo na tela necessariamente, estou falando de ter uma experiência muito melhor quando você navegar.

Reunião com amigos no metaverso

Você poderá, por exemplo, criar ou comprar sua casa virtual e convidar seus amigos para se reunirem nela. Amigos que estão distantes poderão todos se encontrar em minutos. No mesmo espaço.

reunião com amigos no metaverso

Você poderá trocar a vista da sua casa quantas vezes quiser, colocá-la no alto de uma montanha, de frente para o mar, na floresta, no deserto, na estação espacial internacional, em outro planeta, enfim, onde estiver a vibe do dia. E o realismo será cada vez mais apurado, a ponto de, com o avanço da tecnologia, pensarmos que estamos na vida real.

Sua casa no metaverso

Avatares

Seremos representados por avatares, mas os sentidos e a transmissão da nossa postura corporal será cada vez mais precisa com a utilização de sensores e wearables.

Para que o metaverso seja aproveitado no seu máximo, todos os dispositivos necessários precisam conversar, ou seja, precisam ter interconectividade. Várias plataformas diferentes terão que ser compatíveis.

Segundo Zuckeberg, privacidade e segurança têm que ser pensados desde o primeiro dia de uso.

Uma evolução natural do metaverso seria uma projeção em holograma desse mundo virtual sem precisarmos dos óculos de realidade virtual, que ainda são um pouco pesados e desconfortáveis, tanto por conta do seu peso como pelo fator visual. Mas isso ainda vai demorar.

Oportunidade para desenvolvedores 3d no metaverso

Essa tecnologia abrirá uma avenida de oportunidade para desenvolvedores. Principalmente designers 3d desenvolvedores de gamers. Haverá a necessidade de construção de quase todo um universo novo e infinito já que a imaginação é o limite e, hoje, no mundo, existem 8 bilhões de imaginações diferentes. Incluindo todas as empresas que, se o metaverso decolar, claro que não vão querer ficar de fora.

Esportes

A prática de esportes poderia ser impactada também. Você poderia contratar, por exemplo, um personal trainer de um outro país, ou, andar de bicicleta com amigos em um local agradável, no interior. Comprar cursos online de fitness, lutar box, correr na sua esteira mas ter a sensação de estar correndo em uma estrada arborizada etc.

O trabalho no metaverso

Na área do trabalho, como muita gente optou pelo home office, principalmente depois do início da pandemia, haverá mudanças interessantes, como a possibilidade de reunião em ambientes virtuais. Essas salas de reunião estarão disponíveis através de aplicações gratuitas ou pagas.

Home oficce no metaverso

Reunião de trabalho no metaverso

Engenheiros, arquitetos, designers, poderão mostrar e discutir seus protótipos em 3d em holograma junto com outros profissionais que estarão em qualquer outro lugar do mundo.

Reunião de trabalho no metaverso

O turismo no metaverso

No ramo do turismo, o impacto também será grande. É quase impossível hoje conhecermos todos os lugares turísticos do mundo, com o metaverso, isso será acessível à boa parte da população. Porém, mesmo com uma sensação de imersão bastante realista, por enquanto, os sentidos não são totalmente atendidos como são quando estamos presencialmente no local. Contudo, com o passar do tempo e com o avanço da tecnologia, esses sentidos serão cada vez mais estimulados com a vantagem de se visitar muito mais lugares no mundo, por um preço infinitamente menor e com um risco também muito menor.

Esportes radicais no metaverso

Acredito que a sensação de praticar um esporte radical com risco zero será uma das mais interessantes. Imagina “pular” de um penhasco nos alpes, descer as escarpas das montanhas com picos nevados e pousar em uma das planícies verdinhas da Suíça nas margens de um lago azul. Essas sensações são privilégio de pouquíssimos praticantes desse tipo de esporte. Com o metaverso, isso se tonará acessível para praticamente todas as pessoas. Podemos citar ainda surfar as ondas gigantes de Nazaré, pegar os tubos azuis do Thaiti, esquiar a partir do topo do Everest etc.

Educação no metaverso

Claro que a área da educação não ficará de fora. Seu filho, ou mesmo você, poderá viajar dentro do corpo humano, orbitar os planetas e ver detalhes de cada um deles, se aproximar do sol, visitar outras galáxias, se “arriscar” ser sugado por um buraco negro, ver moléculas em 360 graus girando e se conectando à outras moléculas para formar um elemento químico diferente, enfim, já deu para imaginar o ganho para a aprendizagem da humanidade.

Metaverso na área da educação

Para cursos avançados, como de cirurgias, os alunos poderão treinar em um ambiente realista com interatividade e reatividade, ou seja, se errar, o paciente virtual poderá morrer. Dessa forma, com bastante treino, o aluno ficará muito melhor preparado para o procedimento na vida real.

Viagem no tempo

O metaverso vai viabilizar a viagem no tempo. Calma, de certa forma. Imagine cenários ultra realistas onde você ficará imerso em uma época no passado. Assistir a gladiadores no Coliseu, ver Aníbal passar com seus elefantes indo para a guerra, ou a própria guerra, ver o Santos Dumont decolando o 14 bis na Champs Elysees, ver e interagir com a Lucy há 3,2 milhões de anos atrás, ver os dinossauros e o dia do impacto do asteroide que provavelmente os extinguiu, ver a construção das pirâmides do Egito etc.  

a viagem no tempo viabilizada pelo metaverso

Mark Zuckerberg disse estar comprometido com a viabilização dessa tecnologia e que dará suporte para os criadores e desenvolvedores realizarem seus negócios. Disse ainda que será um mercado de bilhões de dólares para se explorar. Ele mesmo promete investir 10 bilhões . Bons criadores de cenários realistas terão, muito provavelmente, muito trabalho nos próximos anos. 

Com relação à criação dos mundos e cenários, por enquanto, ainda é extremamente trabalhoso (requer muitas horas, dias e, às vezes, até meses de trabalho), porém, se houver demanda, muito provavelmente aparecerão plataformas e aplicativos que auxiliarão muito neste processo. Acreditamos que a construção de objetos 3d com o movimento das mãos no ar, que já está disponível porém com algumas limitações, acelerará muito o processo. Quem sabe até a criação por voz.

Games no metaverso

O metaverso elevará o nível dos games para outro patamar. Será possível jogar com os amigos imerso em 360 graus nos cenários ultra realistas. Isso melhorará ainda mais a experiência de jogar. Com o desenvolvimento de wearables com dispositivos que imprimem pressão na pele ou nas mãos, muito provavelmente vai fazer o cérebro acreditar que realmente está naquele mundo. Quando alguém te atingir com algo por exemplo, o dispositivo que você está vestindo fará pressão naquele ponto que você foi atingido. É como jogar Minecraft e sentir a espada do seu inimigo tocando você.  

Projeto Cambria

O projeto Cambria do Facebook promete levar a tecnologia de realidade virtual e realidade aumentada para o próximo nível. Tanto no aspecto visual quanto na riqueza de detalhes das expressões faciais dos avatares, ou seja, os nossos avatares vão espelhar com muita precisão nossas expressões durante as interações com outros avatares, o que empurra a experiência das nossas reuniões virtuais para mais próximo do que percebemos nas reuniões presenciais.

Produção de avatares hiper realistas para serem usados no metaverso

A evolução dos óculos 

Soma-se a isso o esforço de se produzir óculos cada vez mais parecidos com os que usamos hoje, ao invés dos grandes e pesados óculos de realidade virtual.

Futuros óculos de realidade misturada para o metaverso

As tecnologias que provavelmente virão embarcadas nesses óculos são:

– Displays

– Áudio

– Sensores

– Rastreamento de mãos

– Rastreamento de olhos

– Realidade misturada

– Gráficos

– Visão computacional

– Avatares

– Ciência da percepção

– Inteligência artificial

Sensores para o metaverso

Um dispositivo que muito provavelmente será alavancado pelo metaverso são os sensores para pulsos. Eles nos ajudarão a fazer as tarefas de forma muito mais simples dentro e fora do universo virtual, já que poderão interagir também com dispositivos embarcados com internet das coisas. Somente com o movimento das mãos e dedos, tanto os óculos quanto aparelhos com sensores no mundo real, reconhecerão, e executarão tarefas.

sensores para pulso que poderão ser usados no metaverso

sensores para pulso que muito provavelmente serão usados no metaverso

Considerações finais

Segundo Zuckerberg, as pessoas estarão no centro do metaverso, tudo será construído para elas e por elas também (criadores).  E juntas deflagarão uma catálise de ideias, criações e oportunidades de negócios. Tudo tem que ser pensado para termos a melhor experiência possível, pois, se pegar, abriremos um universo paralelo que ainda não sabemos onde vai nos levar.

Ele está tão comprometido com o metaverso que mudou o nome consagrado do Facebook para Meta. Fazendo uma alusão à nova tecnologia. Prometeu colocar todos os seus esforços para fazê-la decolar, para criar mais esse ambiente de imersão, só que desta vez, com muito mais interações, sensações e possibilidades.

A Microsoft afirma que todas as reuniões virtuais serão feitas dentro do metaverso até 2024 e que esse ano ainda lançam a primeira versão deles. O Google parece ter interesse em criar o seu próprio. Há rumores de que a Apple também pretende lançar o seu próprio óculos de realidade virtual. É pegar a pipoca e ver os gigantes se degladiarem. Ou fazerem seus mundos virtuais interconectados, quem sabe. 

Você está preparado para surfar essa nova onda ou ficará só assistindo e será engolido por ela Uma dica e começar a procurar desenvolvedores de realidade virtual para estudar a possibilidade de desenvolvimento de um espaço de experiências. Isso inclusive, já pode ser feito desde já e já pode ser disponibilizado para quem tem óculos de rv. Saia na frente.

Isso sem contar com o mercado de NFT e criptomoedas que podem explodir. Mas isso é assunto para outro post. 

Deixe um comentário